CONECTA FIBRA ÓTICA SALINAS MG

CONECTA FIBRA ÓTICA SALINAS MG
CLIQUE NA IMAGEM

23 de outubro de 2014

TAXA DE NATALIDADE NO BRASIL ANDA EM BAIXA, MOSTRA PESQUISA DEMOGRÁFICA.

“A perspectiva de um Brasil onde haverá mais idosos de que jovens, estão obrigando hospitais a correr e se adaptarem aos novos rumos de tempos modernos. Existem hospitais fechando suas maternidades para ampliarem o atendimento às doenças típicas da velhice”...

Hoje o atual Brasil, caminha rapidamente para uma grande mudança, diga-se de passagem, “radical”, impulsionada por uma curva – Uma curva que segundo pesquisas em 2030 (praticamente 15 anos à frente), existirá um maior índice de idosos que jovens no país. Sendo mais “curto e grosso”, um futuro que pode ser róseo, aparentemente mais enrugado... Tudo isso porque de um lado, os casais estão esperando mais para ter filhos e quando resolvem tê-los, param em números com índices pequenos. (Entre 2 ou 3) ou em alguns casos não conseguem terem nenhum.

De outro lado, pesquisas revelam que os nossos idosos, estão se cuidando mais. Com exercícios físicos e cuidados alimentares. Dispõem de tratamentos cada vez mais sofisticados.  A imagem da inversão da curva populacional sobre os hospitais já vem sendo sentido há alguns anos, no mundo desenvolvido. Em alguns países que dispõem de serviços públicos abrangentes, o fenômeno da disfarces, como a Inglaterra, nenhuma maternidade fechou suas portas, mas, as existentes viram minguar recursos e pessoal, deixando centenas de pacientes sem atendimentos. Nos Estados Unidos, predomina a rede particular, todos os estados vêm registrando um declínio no número de centros hospitalares voltados para bebês.

Alguns meses atrás, vimos reportagens das mídias do Brasil, que uma maternidade em São Paulo, tinha fechado suas portas. “Os hospitais estão se concentrando nos serviços que dão mais dinheiro, porque, se não agirem assim, deixam de existir”, Disse na reportagem do canal VEJA o Consultor americano San Steinberg.

No Brasil, um cálculo muito adotado pelo setor mostra que uma maternidade só se viabiliza como negócio se fizer pelo menos 300 partos por mês. O prejuízo anual de uma casa de saúde que não consegue chegar a essa patamar mínimo, gira em torno de R$1.000.000,00, Isso leva o fechamento de maternidades nos grandes centros.



Fonte: Reportagem de demografia da VEJA. 






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Pesquisar este blog